Raças

Trabalhadores



Akita
akita


Um cão Akita, de nome Hachiko, simboliza o caráter leal dessa raça. Hachiko manteve o hábito de, sistematicamente, ir ao encontro de seu dono na estação ferroviária, mesmo depois da morte deste. Todas as noites o cão esperava até meia-noite --manteve esse hábito durante nove anos, até o dia de sua própria morte.O Akita, raça antiga e símbolo da saúde e da felicidade, caçava ursos e javalis. Durante uma certa época, só a família imperial podia criar Akitas, que tinham tratadores especiais. Hoje, o governo japonês considera esse cão um patrimônio nacional e subsidia o trato de um campeão. Como animal de estimação, o Akita é inteligente e protetor.




Malamute

0.0
O Malamute, um forte cão do tipo Sptiz, deve seu nome a um povo Intuit, chamado Mahlemuts. Não se sabe como os ancestrais desse cão chegaram ao Alasca, mas com o tempo esse animal se adaptou ao frio extremo. Puxava trenós, transportava cargas e cuidava de rebanhos de caribus. No passado, esse cão até mesmo caçava ursos polares.Essa raça quase foi extinta devido aos cruzamentos, mas criadores dedicados a resgataram. Com o tempo, esse vigoroso cão passou a acompanhar expedições ao Ártico e à Antártica, bateu recordes em corridas, e é hoje um animal de estimação muito querido.






Cão Argentino
0.1
Como muitos outros cães, o Cão Argentino combina as características ideais de várias outras raças, mas é produto de dez raças distintas. Esse vigoroso, inteligente e corajoso animal, cuja raça foi desenvolvida por dois irmãos argentinos na década de 1920, era um excelente caçador de javalis, pumas e jaguares.Hoje, demonstra sua excepcional capacidade de trabalho de diversas maneiras: desde busca e resgate a caça e vigilância. Cordial, expansivo e afetuoso, é também um excelente companheiro.






 

Montanhês Bernês

0.2

Quando os soldados romanos invadiram a Suíça, levaram consigo grandes cães de guarda, para ajuda e proteção. Na nova terra, ocorreram cruzamentos desses cães com cães pastores locais, o que produziu quatro tipos distintos de cães montanheses. O cão Montanhês Bernês, do Cantão de Berna, tinha uma pelagem longa e tornou-se muito popular. Esse animal era usado para trabalhar na agricultura como cão de tração, puxando carrinhos para os tecelões e fabricantes de queijos.No século XIX a raça foi praticamente extinta, mas ressurgiu devido ao empenho e aos cuidados do Professor Albert Heim. Hoje esse cão, cujo pêlo é de um preto intenso, com manchas brancas e marrons, vive feliz como animal de estimação.





 

Boxer

0.3


O nome Boxer deve-se ao peculiar hábito desse cão de erguer as patas dianteiras e fazer movimentos como se estivesse dando socos. Apesar do nome inglês, seu ancestral alemão foi gerado do cruzamento de cães Bulldog e Mastiff, que caçavam javalis e cervos.Os Boxers são inteligentes, ágeis e vigorosos. Os alemães tinham esses animais em tão alto conceito que os usaram como os primeiros ajudantes policiais. Apesar de seu passado como caçador e cão policial, o Boxer tem hoje um temperamento brincalhão e adapta-se muito bem a famílias com crianças.






Bullmastiff

0.4

O nome Bullmastiff revela a origem desse cão. Os guarda-caças do século XIX precisavam da ajuda de cães para capturar caçadores violentos e perigosos. Não havia nenhuma raça que reunisse todas as características necessárias, até que o cruzamento do Bulldog com o Mastiff produziu um cão veloz, forte e ousado. Também chamado "Guarda-caça Noturno", esse cão, valendo-se de seu poderoso faro, atacava furtivamente o invasor e o imobilizava. Mais tarde esse animal passou a ser usado como cão de guarda.Seu curto pêlo marrom ou mosqueado adapta-se a diversos climas. Como animal doméstico, tem uma índole tranqüila, mas precisa de muita atividade e de atenção humana.




 

Doberman Pinscher

0.5

O observador cuidadoso talvez perceba que o Rottweiler e o Doberman Pinscher têm porte e cor semelhantes, e de fato essas duas raças estão relacionadas. No final do século XIX, Louis Doberman, cidadão alemão interessado em criar um novo tipo de cão de trabalho, cruzou cães Rott, Pinscher Alemão e Terrier Black and Tan. Esses cruzamentos originaram um cão com corpo musculoso e reflexos rápidos. O curto pêlo brilhante pode ser de um vermelho escuro ou preto intenso, com manchas castanhas na cara, peito e pernas. O corpo garboso desmente sua grande força. De natureza obediente e leal, é um guarda e policial confiável e pode ser também um fiel animal de estimação.




 

Fila Brasileiro

0.6

As origens do Fila Brasileiro encontram-se no Brasil, quando foram feitos cruzamentos de cães pastores portugueses (importados pelos colonizadores), Matisff, Bulldog e Bloodhound, que originaram essa raça grande e de ossos pesados. Usado para vários tipos de trabalho, esse cão cuidava do gado, das ovelhas e da propriedade, caçava felinos, inclusive o jaguar, e ajudava a polícia.O Fila tem muitas habilidades físicas importantes, inclusive grande vitalidade, habilidade para nadar e resistência aos desafios do clima. Como animal de estimação, é extremamente leal, embora precise ser acostumado desde cedo a conviver com estranhos e com outros cães. Essa raça é reconhecida por poucos clubes de cães no mundo todo. 




Schnauzer Gigante
0.7


Como muitos outros cães, o Schnauzer Gigante foi criado na Alemanha. Os vaqueiros da Bavária gostavam do Schnauzer menor mas precisavam de um cão maior, que os ajudasse a conduzir o gado ao mercado. Para tanto, foram cruzados cães Sheepdog, Dinamarquês e Bouvier de Flandres. Quando a prática de conduzir rebanhos diminuiu, o versátil Schnauzer Gigante passou a ser usado como guarda de cervejarias e açougues.Por volta do início do século esse inteligente animal, cuja pelagem é preta, passou a ser treinado como cão policial e hoje continua a executar essa tarefa em vários países europeus.




Dinamarquês
0.8

O Dinamarquês -- nome derivado das palavras francesas que significam "Grande Dinamarquês"-- não tem nenhuma relação com a Dinamarca. A raça foi desenvolvida na Alemanha há cerca de 400 anos e é produto do cruzamento do Wolfhound Irlandês com o Mastiff Inglês. O trabalho desse animal como caçador de javalis dotou-o de porte, força e velocidade suficientes para derrubar oponentes enormes e perigosos.às vezes denominado "O Apolo dos Cães", o Dinamarquês é um guarda competente e um dedicado animal de estimação. Tem um temperamento aristocrático e tranqüilo, mas o dono deve ter cuidado com o porte avantajado desse animal.







Great Pyrénées

0.9

O Great Pyrénées provavelmente migrou da Ásia Central para a Europa, acompanhando seus donos pelos Pirineus franceses. Fósseis indicam que essa raça remonta à Idade do Bronze, cerca de 4000 anos atrás.Descendente do Mastiff, devido ao ar puro das montanhas, esse cão desenvolveu inteligência, força e coragem. Dono de um pêlo protetor e de sentidos aguçados, protegia os rebanhos dos pastores contra ataques de animais selvagens. No século XVII, os nobres franceses passaram a criar esse cão e mais tarde sua imagem apareceu no brasão real da França. É um animal doméstico manso e cordial, mas precisa de muito exercício.

 

 




Komondor 
0.10

 

O pêlo pesado e encordoado do Komondor o protege há mais de mil anos. No primeiro embate com um inimigo potencial, o grande porte desse cão intimida o oponente e sua pelagem serve de escudo contra ataques físicos às partes vulneráveis de seu corpo. No passado, embora fortes e inteligentes, os Komondors raramente cuidavam dos rebanhos de seus donos, os magiares -- eram mais seus companheiros e protetores.Esse cão continua leal e tem um temperamento manso, mas, quando provocado, luta com valentia. A linhagem desse animal, embora antiga, continua pura, devido aos poucos cruzamentos e à preocupação dos donos com a preservação da raça.

 



Kuvasz
0.11
Embora o nome do Kuvasz tenha sido corrompido, a raça continua pura. O nome desse cão, provável parente do Komondor, deriva da palavra turca "kawasz", que significava "vira-lata guarda armado da nobreza", descrição imperfeita dessa raça pura.Em certa época, esse cão foi usado como companheiro e guarda de segurança de soberanos europeus. Sua aparência intimidadora e a habilidade para se defender impediam ataques potenciais. Embora tenha sido usado mais tarde como pastor, é mais conhecido pelos serviços prestados à realeza. Os modernos aperfeiçoamentos da raça, realizados na Hungria, reduziram o impressionante porte desse cão e suavizaram suas  características.





Mastiffs
0.12

 Os Mastiffs lutaram ao lado dos soldados ingleses na famosa batalha de Agincourt, em 1415. Um cão extremamente tenaz defendeu seu dono ferido durante horas, até que correligionários o resgatassem do sangrento campo de batalha. Gravuras e referências literárias a esse enorme animal aparecem no Antigo Egito e na China, e César mencionava as excepcionais qualidades de lutador do Mastiff já no ano 55 da Era Cristã.Mais tarde, esse cão passou a trabalhar em matilhas de caça da realeza e a circular pelas propriedades dos camponeses à noite, protegendo-as de lobos e de outras ameaças. Embora caçador e lutador no passado, o Mastiff é hoje um animal doméstico dócil e leal.



Terra Nova
0.13

Apesar do porte avantajado e de seu passado como cão trabalhador, o Terra Nova tem hoje uma índole dócil. Seus ancestrais, talvez o Great Pyrénées, o Husky e o Boarhound, foram levados à Terra Nova, no Canadá, por pescadores europeus. Nativo da costa, esse cão de grande porte trabalhava tanto na água como em terra. Puxava carrinhos, carregava cargas pesadas, ajudava os pescadores e resgatava pessoas que estavam-se afogando.Esse animal tem uma grossa pelagem que o protege das águas geladas e não gosta do calor. Inteligente, vigilante e obediente, adapta se muito bem ao círculo familiar. Adora e protege principalmente as crianças pequenas.

 



Perinra
0.14

Embora pouco se saiba a respeito do desenvolvimento dessa raça na América do Sul, acredita-se que ela é descendente das raças asiáticas que acompanharam as expedições para as Américas, através do Estreito de Bering.Esses cães podem ser encontrados em duas variedades: sem pêlos e com pêlos. O primeiro tinha a preferência da nobreza inca -- era criado como animal de estimação e para esquentar as camas e só era solto à noite, para evitar queimaduras de sol. Ambas as variedades são conhecidas por sua força e velocidade. Manso, tranqüilo e limpo, é o animal de estimação ideal para pessoas sensíveis.





Cão D'água Português
0.15

Fazendo jus ao nome da raça, o Cão D'água Português ajudava os pescadores da costa ibérica. Ao contrário dos pastores de terra, esse exímio nadador conduzia os peixes para dentro das redes. Resgatava também equipamentos perdidos e levava mensagens de um barco para outro. Seus ancestrais talvez tenham chegado a Portugal com os visigodos ou mouros, mas sua jornada para a Europa Ocidental permanece desconhecida.Com a redução da pesca costeira, a raça ficou ameaçada, até que, em 1930, o Dr. Basco Bensuade, sem nenhuma ajuda, a fez ressurgir. O pêlo desse cão é impermeável à água e cai muito pouco. Como animal doméstico, adapta-se a vários estilos de vida.





Rottweiler moderno

0.16O Rottweiler moderno descende de um cão trabalhador da Roma Antiga. Dono de força e inteligência, trabalhava nas legiões do exército como pastor dos animais e vigia dos suprimentos. Finalmente, passou a ser criado perto de Rottweil, na Alemanha, e recebeu o nome do local. Levando e trazendo gado dos mercados alemães, mais tarde tornou-se conhecido como cão "açougueiro".Essa raça, após sofrer acentuado declínio durante o século XIX, ressurgiu, no início do século, como guarda e auxiliar da polícia. Apesar de sua famosa agressividade, com treinamento adequado pode tornar-se um animal doméstico calmo, apegado e obediente.




São Bernardo

0.17

As lendárias habilidades do São Bernardo para resgate desenvolveram-se nos Alpes, onde era criado por monges que ajudavam os viajantes a atravessar as montanhas. Grupos de quatro cães logo demonstraram instinto para localizar pessoas perdidas em tempestades. Ao encontrar a vítima, um deles a lambia, tentando reanimá-la, enquanto outro ia buscar ajuda humana. Durante 300 anos, esse valente cão salvou mais de 2000 vidas.Durante a década de 1830, o sangue Terra Nova acrescentou mais energia à linhagem; o nome da raça foi adotado cerca de 50 anos mais tarde. Hoje, esse grande cão é um animal doméstico agradável e calmo, além de um adorável companheiro.




 

Samoieda

0.18

O Samoieda tem uma linda pelagem branca que lembra a neve de sua região nativa, a Sibéria. Entretanto, apesar da aparência elegante, a raça tem sobrevivido a muitos desafios. No passado, esse cão acompanhava pastores nômades, cuidando das renas e puxando pesados trenós através do solo gelado. Diante de desafios, esse cão ainda hoje mostra seu famoso "sorriso" e sua índole alegre e prestativa.O Samoieda até mesmo acompanhou Roald Amundsen em sua expedição ao Pólo Sul. Embora acostumado a temperaturas extremamente baixas, esse cão adapta-se a climas mais amenos, em qualquer região do mundo. É um cão ativo, além de bom companheiro.





Husky Siberiano

0.19

No passado, o povo asiático Chukchi dependia do Husky Siberiano para sobreviver. Esse robusto cão puxava trenós, cuidava dos rebanhos de renas e guardava a propriedade, naquele clima gelado e desafiador. Sua incrível energia chamou a atenção dos comerciantes de peles, que finalmente o levaram para outras partes do mundo.O Husky conquistou reconhecimento universal quando saía em busca de medicamentos para os habitantes do Alasca. Até hoje esses cães disputam corridas de trenós, além de deliciarem seus donos com sua índole alerta, gentil e independente. Apesar de ter-se desenvolvido em climas frios, essa raça adapta-se a diferentes condições de vida.



 


Schnauzer Standard

0.20Entre as três raças de Schnauzers -- Miniatura, Standard e Gigante, o Schnauzer Standard é enquadrado no tamanho médio. Originalmente caçador de ratos e vigia, a ascendência desse cão remonta ao século XV. Mistura do Poodle Alemão, do WolfSpitz e do Pinscher Pêlo Duro, essa raça reflete as características de seus antepassados: é vigilante, valente e confiável.O nome da raça deriva da palavra alemã "schnauze", que significa focinho. Esse cão tem "barba" e "bigode" peculiares, compostos de pêlos duros e, em geral, sua pelagem é tigrada. Devido a sua inteligente personalidade, é também um bom animal de estimação.







 

Rua Mateus Leme, 3312  São Lourenço, Curitiba-PR

telefones: 3253-6008 e 8495-3907

  Site Map