PULGAS

          Apenas 5% das pulgas estão nos animais, sendo que 95% delas estão no ambiente, portanto um problema ambiental. Nos cães e gatos vemos as pulgas na sua forma adulta. Os ovos, larvas e pupas estão no ambiente, por isso é necessário um controle integrado ambiente e animal para uma máxima eficiência. Cada pulga pode picar até 400 vezes o animal. Durante sua vida ela põe aproximadamente 2000 ovos (de 20 a 50 por dia). O que vemos nos animais, além das pulgas são as fezes das pulgas, sendo que os ovos, por os pêlos dos animais serem lisos e o animal se movimentar, coçar etc. escorregam e caem no ambiente.

          As larvas que saem dos ovos se escondem da luz em tapetes , carpetes, frestas, na grama etc... As larvas desenvolvidas formam casulos e se transformam em pupas que ficam de 2 semanas à 6 meses aguardando o momento propício para se transformarem em pulgas. Assim que a pulga sai da pupa ela procura um animal para morar, se alimentar de sangue e se reproduzir.

           Na primavera com o aumento da temperatura ambiente e o início das chuvas aparecem as primeiras pulgas saídas das pupas que se encontravam hibernando no ambiente. Essa seria a primeira infestação do ano. A segunda infestação ocorre no verão, forte calor e alta umidade, oferecem as condições ideais para uma nova onda de pulgas.No outono ocorre a terceira infestação. Nessa ocasião descuidamos o controle porque elas são menos visíveis embora estejam em plena atividade.

           Por último durante o inverno a infestação é quase invisível porem as larvas que se transformam em pupas hibernarão até a primavera.


                CICLO DAS PULGAS

                                                                    


O ciclo dos carrapatos é parecido com o das pulgas, ovo, larva, ninfa e carrapato adulto. Eles alimentam-se nos animais durante uma a três semanas. Caem no ambiente e põem de 2000 a 4000 ovos.


                                                                 img_ciclo_carrapato

           Os carrapatos são parasitas altamente especializados. Eles se alimentam de sangue de hospedeiros vertebrados como o cão e o homem. Para completar seu ciclo, eles precisam se alimentar três vezes, e isso pode ocorrer no mesmo hospedeiro ou em diferentes animais. Nos casos em que os carrapatos utilizam mais de um hospedeiro, há potencialmente um alto risco na transmissão de doenças. Na saliva do carrapato, existe um componente com propriedades anestésicas que, juntamente com outros, previne a coagulação do sangue. Por causa disso, a picada do carrapato não é notada, e ele pode se fixar em qualquer no animal sem ser detectado.

Um carrapato pode permanecer no mesmo hospedeiro por até 2 semanas. Após a alimentação, a fêmea transforma uma quantidade considerável do peso do seu corpo (50% ou mais) em ovos e depois morre, produzindo milhares de ovos.

A larva eclode do ovo e procura um hospedeiro, se fixa e se alimenta de sangue. Terminado o processo de alimentação, a larva desacopla o aparelho bucal da pele do hospedeiro e cai no ambiente. Em seguida, a larva avança no seu ciclo evolutivo, mudando para ninfa e procurando por outro (ou mesmo) hospedeiro para o segundo processo de alimentação. Posteriormente, a ninfa deixa o hospedeiro e procura por um local adequado no ambiente, onde ela possa sofrer a muda para a fase adulta. Já adulto, o carrapato procurará por um último hospedeiro para repetir a alimentação e se preparar para a reprodução.



fonte: Urquhart, Armour, Duncan, Dunn, Jennings - Parasitologia Veterinária - Guanabara Koogan 2 edição 1998 273 pág.

         http://www.bicholocko.com.br/index.php?pag=menu&idmenu=42&pulgas-e-carrapatos





 

Rua Mateus Leme, 3312  São Lourenço, Curitiba-PR

telefones: 3253-6008 e 8495-3907

  Site Map